Receba dicas grátis!

Central de alarme de incêndio: tudo o que você precisa saber antes de escolher o seu

Todas as edificações correm riscos, inclusive de incêndios. Casos relativamente recentes, como o da Boate Kiss, ainda chocam a população e mostram que é fundamental aprimorar cada vez mais a segurança nas edificações.

Uma das tecnologias que possibilitam otimizar essa segurança é a central de alarme de incêndio, um sistema projetado para identificar e alertar sobre a possibilidade ou existência de um incêndio.

Veja o que você deve considerar antes de escolher o seu sistema!

A central de alarme de incêndio

A central de alarme de incêndio tem como finalidade detectar o princípio de incêndio, de modo que o mesmo possa ser combatido imediatamente. Atuando na preservação da vida e do patrimônio.

O sistema deve ser programado para funcionar de forma inteligente, segura e integrada a um conjunto de dispositivos, tais como: detectores, acionadores manuais, sinalizadores e módulos para controle e automação.

O detector é o dispositivo que identifica a presença de “fumaça/calor/chama” no ambiente. Existem também diversos tipos de acionadores manuais, sendo que alguns são no estilo martelinho, e outros funcionam por meio de pressão.

Os sinalizadores, por sua vez, enviam sinais de alerta para dispositivos de sinalização audiovisual, tais como: “sirenes e luzes de emergência”.

Os módulos de comando servem para automatizar ventiladores, exaustores, catracas, sirenes e portas corta-fogo. Já os módulos de entrada servem para monitorar chave de fluxo e outros dispositivos que utilizam contato seco.

Centrais endereçáveis e convencionais

É importante também saber diferenciar uma central de alarme de incêndio convencional de outra endereçável.

O sistema convencional

O sistema convencional é mais recomendado em projetos mais simples. Nesse caso, as áreas são menores e existem menos dispositivos no espaço. Esse sistema permite monitorar áreas delimitadas por setores.

As centrais convencionais são indicadas para ambientes menores ou com menos compartimentos. Estas centrais identificam zonas alarmadas, sendo cada zona composta por um ou mais detectores, limitado ao máximo indicado pela norma nacional ou pelo fabricante (o menor valor prevalece). Possuem menor custo, porém, são menos precisas na indicação do local exato da ocorrência, tendo em vista que sinalizam a área total composta pelo conjunto de detectores conectados à mesma zona.

O sistema endereçável

As centrais endereçáveis permitem identificar cada elemento individualmente e, desta forma, o local exato de um eventual alarme. Os dispositivos de campo comunicam-se com a central através de um protocolo de comunicação, o qual, além da informação de alarme ou falha, pode ainda indicar outros parâmetros, tais como: o grau de contaminação do dispositivo (detector sujo), por exemplo.

Esta inteligência a torna mais adaptável às condições de cada ambiente.

Os locais em que uma central de alarme de incêndio é utilizada

Uma boa vantagem é que a central de alarme de incêndio pode ser usada em diferentes lugares, de acordo com as regras da ABNT NBR 17240/2010.

  • Prédios comerciais e industriais;
  • condomínios residenciais;
  • oficinas;
  • hotéis;
  • lojas de departamento;
  • armazéns;
  • postos de combustível;
  • academias;
  • salas de informática e salas de máquinas;
  • Boates, etc.

O que você pensa sobre os sistemas de segurança contra incêndio? Costuma usá-los em seus projetos? Deixe seu comentário, pois ele é muito importante para o blog!

Adicionar comentário