Receba dicas grátis!

4 dicas valiosas na hora de escolher o sistema de prevenção de incêndio do seu estabelecimento

Contar com um sistema de prevenção de incêndio é a melhor forma de evitar sinistros de grandes proporções. No Brasil e no mundo existem relatos surpreendentes sobre desastres envolvendo incêndios.

Alguns foram realmente tragédias históricas, como o incêndio de Londres em 1666 e o incêndio de Roma no ano 1964, que as evidências apontam ter sido criminoso. Outros casos geraram mais comoção local em um país, mas nem por isso pouco marcantes, como os incêndios do Edifício Joelma em 1974 (São Paulo, SP) e da Boate Kiss em 2013 (Santa Maria, RS).

Por tantas fatalidades assim, é essencial contar com equipamentos confiáveis para minimizar riscos em seu estabelecimento. Neste post, mostraremos 4 dicas para você não errar na hora de escolher. Leia e confira!

1. Escolha a linha endereçável se o espaço for muito grande

O sistema de prevenção de incêndio endereçável é o mais preciso e destina-se a ambientes maiores, já que a central de alarme possibilita identificar de forma ágil o foco onde se originou o incêndio e, principalmente, qual o dispositivo de detecção foi acionado.

A sua atuação tende a ser mais rápida e bem direcionada, reduzindo ao máximo as possibilidades de maiores danos. Isso se deve à tecnologia do sistema endereçável, que é mais desenvolvida que a do sistema convencional. Assim, a central mantém um contato individualizado com cada dispositivo, detectando falhas com mais exatidão.

Cada detector ou acionador recebe um número, que fica sendo seu endereço — daí o nome de linha ou sistema “endereçável”. A linha endereçável conta com: “central, acionadores, detectores, sirenes, painéis repetidores e módulos”.

2. Escolha o sprinkler mais adequado

O sprinkler é um dispositivo do tipo chuveiro, que atua na linha de combate, dispersando água do teto de maneira uniforme até extinguir ou controlar um foco de incêndio. Alcançada a temperatura de alarme, o calor faz com que o fluido dentro da ampola de vidro sofra expansão e quebre o vidro, liberando a água.

Trata-se de um mecanismo muito inteligente e suas características devem ser observadas, tornando o sistema de prevenção de incêndio mais eficaz. Por exemplo, a cor indica a temperatura máxima para que o fluido sofra expansão.

O vermelho suporta até a temperatura máxima de 68ºC, o amarelo suporta até 79ºC, o verde aguenta até 93ºC e o azul até 141ºC.  Compre apenas equipamentos certificados, pois esses oferecem a garantia de que funcionarão.

3. Não esqueça os acessórios

É necessário complementar o projeto com alguns itens, entre eles estão:

  • Cabos blindados para interligação dos dispositivos;
  • Fontes de alimentação, que fornecem energia para as sirenes e os módulos;
  • Luminárias que provêm iluminação de emergência no estabelecimento;
  • programador de endereços, que endereça os dispositivos conectados à central de alarme no sistema endereçável;
  • Sinalizadores que são placas luminosas que indicam as saídas de emergências;
  • Gás utilizado para testar o acionamento dos detectores de fumaça e do tipo óptico.

4. Escolha o melhor modelo de acionador

Escolha qual modelo de acionador é mais compatível com o perfil do seu estabelecimento. Existe o acionador manual à prova de tempo, com martelinho para quebrar o vidro, confeccionado em alumínio. Ele deve ser usado em ambientes externos.

Existe também o acionador manual confeccionado em ABS, para uso em áreas internas e externas (à prova de tempo). Ele são rearmáveis e devem ser pressionados. Acompanha chave interna para o rearme.

No caso do sistema de prevenção de incêndio convencional, o acionador é uma botoeira liga/desliga confeccionada em ABS. O acionamento também é realizado por pressão: o botão-chave de cor verde liga e o botão-chave de cor vermelha desliga.

E você. Já conta com um sistema eficaz para seu negócio? Acesse o site Skyfire e confira as melhores opções.

Adicionar comentário